Pilha Infinita ∞ + 7


Chegamos ao número 7 da Pilha Infinita, um espaço regular de reflexão do que andei lendo, assistindo e explorando. Teve sessão de Vingadores, Italo Calvino, Duna, e mais! Se inscreva para ser avisado das novas postagens.


“Duna”, Frank Herbert

Na adolescência eu tinha avançado bastante na leitura de “Duna” mas desistido por qualquer motivo que não me lembro precisamente. Alguns livros eu simplesmente tinha que devolver para a biblioteca e ao invés de renovar estava mais interessado em tentar um ou outro que tinha despertado meu interesse e “Duna” foi um desses que eu não concluí. Sempre tive esse débito para com esse livro, e universo, tão importante para o gênero da ficção-científica. Foi o escolhido pelo clube de leitura que faço parte para este último mês e foi uma ótima oportunidade de revisitar e finalmente concluir a leitura e também já ler a obra antes da esperada nova adaptação que será dirigida pelo Denis Villeneuve. Um Universo riquíssimo e interessante e que parece muitas vezes superior à própria história e protagonistas.


“Desobedecer”, Frédéric Gros

Acho a coleção “Exit” da editora Ubu, uma das mais instigantes linhas editoriais contemporâneas, dialogando com nossa sociedade em vários níveis. Este é o terceiro livro da série que leio e sempre encontro obras que mergulham em um tema bem delimitado e me oferecem uma perspectiva sólida, bem pesquisada e explorada. Aqui o autor tenta traçar toda a teoria de desobediência civil, antes fazendo uma longa exploração de por que, em primeiro lugar, obedecemos. Acredito que é uma leitura muito informativa, para qualquer pessoa, pois lança luz para relações de poder e regras que muitas vezes nos são invisíveis, como água para os peixes, algo do qual estamos imersos, intermediando todas as nossas relações e modo de existência e podemos estar totalmente ignorantes de sua existência. Ou ainda pior, sendo levados por uma corrente específica sem nos dar conta de seus processos. Importante para pensar criticamente a cidadania.


“Se um viajante numa noite de inverno”, Italo Calvino

Delicioso livro com um jogo metalinguístico que vai deliciar todos os leitores e também aspirantes a escritores nesse jogo narrativo. Quando eu achava que o livro poderia se tornar “repetitivo”, com alguns expedientes de metalinguagem, ele me surpreendia sempre. Recomendo a leitura, totalmente! Uma das personagens inclusive em certo momento com o escritor diz que não podia ler o livro pois “estava sem seu computador”. Basicamente por que, acadêmica, ela coloca o livro em uma programa que dizia a ela a frequência das palavras e então com a lista das palavras mais citadas, ela teria assim uma ideia do que o livro é, teria “lido” o livro.

Óbvio que ela tem muito de paródia aqui, e não podemos ler a personagem sem levar isso em consideração, mas conseguindo, fácil e rapidamente, criar um pequeno script com essa missão em python, eu passei a verificar os livros que ando lendo em um programa similar, explorando de uma forma saborosa minhas leituras. Nem todo livro tem o e-book disponível, o que dificulta essa análise, mas só os clássicos disponíveis no projeto Guttenberg dão muito material para diversão. Sempre quis fazer pequenos projetos desses depois de ter lido “Nabokov’s Favorite Word Is Mauve, que tenta trazer um pouco de “data science” para livros.

Empregando uma metodologia bem básica e excluindo palavras vazias ou stopwords, eu cheguei a estas, como as palavras mais comuns desta novela:

livro : 260
sobre : 170
mim : 163
livros : 161
outro : 148
romance : 147
talvez : 136
ainda : 134
todos : 130
senhor : 129

Pode-se ver que é um livro sobre um livro, livros? Que pondera muito, se debruça, olha para dentro, explora o romance, se abre.

Analisei por curiosidade meus contos mais recentes. A interpretação de cada “leitura” deixo para vocês:

“O Monstro de Mariana”:

mim : 27
coisa : 20
tão : 17
então : 17
todo : 16
corpo : 15
tudo : 15
senti : 14
apenas : 13

“Brasil, uma profecia”:

tudo : 22
tão : 22
sempre : 21
apenas : 21
cada : 20
qualquer : 19
bem : 19
mim : 17
todos : 17
messias : 17

E agora, meu conto ainda inédito, cujo título será “Admirável Imagem & Semelhança”*:

lúcio : 59
tudo : 40
00100000 : 37
todos : 35
apenas : 34
cada : 30
código : 30
então : 29
assim : 27
ainda : 25

*Número que pode mudar, consideravelmente, após passar por revisões.


“Viagem ao Espírito Santo e Rio Doce”, Auguste de Saint-Hilaire

Relatos de um naturalista viajando pelo Brasil 200 anos atrás e revelando uma parte do Brasil que a nossa memória coletiva pouco faz questão de conservar. Interessante material, para uma pesquisa temática que ando realizando. Esses relatos de naturalistas são sempre cheio de observações interessantes pois como são um “olhar de fora”, sempre trazem uma perspectiva diferente.


“Outlining Your Novel: Map Your Way to Success”, “Structuring Your Novel: Essential Keys for Writing an Outstanding Story” e “Creating Character Arcs: The Masterful Author’s Guide to Uniting Story Structure”, K.M. Weiland

Li os três livros da autora em sucessão, para tentar ter a visão da autora do processo. Meu primeiro contato com conceitos empregados pela mesma foram através de seu uso como material de apoio em vídeos do canal “Lessons from the Screenplay“. São bons livros no sentido de darem uma visão completa, mas ainda sinto um vago incômodo com a maneira “estruturalista” americana de tornar tudo apenas uma lista de coisas a fazer. Ainda que a autora repita várias e várias vezes que não se deve limitar a isso, que é apenas uma esqueleto, sempre as aplicações são tão específicas, que parecem trair o princípio. Mas considero bons livros introdutórios, e se não definitivos sobre o assunto (de forma nenhuma recomendaria estes se me pedissem “se eu tiver que ler apenas um livro sobre o assunto), pelo menos trazem mnemônicos e boas ilustrações de conceitos e estruturas.

Outlining Your Novel: Map Your Way to Success” se trata de criar outlines para criação de contos, romances e novelas e os métodos por ela empregados. É o mais “prático”, no sentido de ser uma espécie de GTD para escritores, com diversas implicações. E como se trata de outline, acaba tocando em vários assuntos que depois seriam melhora aprofundados nos livros posteriores. “Structuring Your Novel: Essential Keys for Writing an Outstanding Story” é sobre um dos mais fascinantes aspectos de criar ficções, que é a arquitetura das histórias. Tem momentos bem interessantes, e outros, honestamente, bem rasos e dispensáveis. “Creating Character Arcs: The Masterful Author’s Guide to Uniting Story Structure” é, na minha opinião, o melhor dos três. Por ser uma exploração de arcos de personagem, acaba passando por tudo do anterior, e entra em detalhes de diferentes tipos de arcos e possui algumas nomenclaturas bem interessantes, principalmente as primeiras. Mas também tem seus vales de trechos passáveis ou completamente desinteressantes.


“Collision With the Infinite: A Life Beyond the Personal Self”, Suzanne Segal

Interessante relato em primeira pessoa de Suzanne Segal quando ela teve uma “morte do ego” ou Desordem de Despersonalização, outro assunto que andei pesquisando. No livro há muito de especulação da relação do incidente com filosofias e práticas de religiões orientais, mas li com a perspectiva de entender o processo emocional e psicológico de uma pessoa que perdeu essa noção de “Eu”, que parece ser a premissa básica de toda a experiência humana, sendo em vários momentos, inclusive difícil de acompanhar ou fazer um sentido prático do que estamos lendo.


“Vingadores: Ultimato” (2019)

Está se falando ad nauseam desse filme, que é o maior evento cinematográfico dos últimos anos e não tenho nada a acrescentar além de minha perspectiva emocional de que para mim, entregou o ciclo dos personagens de forma satisfatória e que ressoou comigo Eu chorei.


“Protocolo de pós detecção”

Você conhece a “Escala Rio”? Batizada após a cidade do Rio de Janeiro, é uma escala que classifica a importância de potenciais mensagens alienígenas. Estes detalhes e outros, são explorados nesse informativo vídeo sobre os protocolos de pós detecção.


Primeira vez por aqui? Veja também:

Inscreva-se:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *