Pilha Infinita ∞ + 4

Este é o número 4 da Pilha Infinita, meu resumo regular de leituras, filmes, papers, vídeos & ideias que ando explorando. O último foi em dezembro, então vou me concentrar no que de mais interessante eu explorei em janeiro. Se inscreva para ser avisado da publicação 🙂


“Object-Oriented Ontology: A New Theory of Everything”, Graham Harman (2018)

Um “pequeno grande livro” onde Harman busca explica todos os fundamentos dessa nova proposta de filosofia, chamada por ele de Ontologia Orientada a Objetos ou OOO.

Se o subtítulo parece grandioso, “A New Theory of Everything” é por que ele parte do questionamento da busca da “teoria de tudo” da Física, sendo que o que acredita-se ser essa teoria, não poderia nem mesmo ser qualificada como uma “teoria de tudo” pois ela não incluiria uma epistemologia descritiva ou uma ontologia. Ambas Harman acredita que apenas a filosofia pode prover.

Ele buscou escrever de forma que tanto quem não sabe nada de filosofia quanto iniciados conseguissem acompanhar cada ideia apresentada e que fosse agradável de se ler. Acredito que em alguns momentos o autor entra em detalhes desnecessários mas no geral, um ótimo e imersivo livro de filosofia, sobre um dos temas que mais me interessei nos últimos tempos. Talvez o assunto de filosofia que mais me identifico e interesso no momento.


“Outras Mentes: O Polvo e a origem da consciência”, Peter Godfrey-Smith (2019)

Se tem algo de OOO que me fascinou, é o destronamento almejado de retirar a consciência humana e nosso acesso “privilegiado” ao mundo de alguma forma de protagonismo. Logo, ler um livro que trata do desenvolvimento da consciência e mentes em animais tão diversos de nosso ramo evolutivo é bem interessante.

Traz dados e informações bem interessantes e a leitura flui bem e rápido. Tão rápida que quando acabou me deixou uma sensação de me aprofundar mais em todos os temas que o autor mais abrindo e abrindo e muitos não fecham. Claro que se trata de ciência e exploração filosófica e para algumas questões simplesmente não há resposta definitiva. Um livro instigante!


“Capitalist Realism: Is There No Alternative?”, Mark Fisher (2009)

Por que é mais fácil imaginar o fim do mundo do que o fim do capitalismo? A busca pela resposta a esta pergunta move Mark Fisher nesse livro bem rápido mas cheio de conceitos, referências, análises. O estilo do autor é, em alguns momentos, desnorteante — no bom sentido! Em uma frase ele faz conexões entre filósofos, cultura popular e correntes de ideias, sempre de um ângulo particular.


“Flatline Constructs: Gothic Materialism and Cybernetic Theory-Fiction”, Mark Fisher (2018)

Outro do Mark Fisher, que é um pensador bem interessante. Aqui, uma coleção temática de diversos textos nunca publicados ou que foram postados anteriormente em blog do autor, agrupados em torno de questões muito interessantes ao redor do que ele classifica como “materialismo gótico” e sua relação com o cyberpunk e a “teoria-ficção cibernética”. Um mergulho bem profundo em pensadores diversos tendo como pano de análise principalmente “Videodrome” do Cronenberg e “Neuromancer” do William Gibson mas tocando em dezenas de outras obras. Um livro de tirar o fôlego de quantas portas abre. Me deu vontade de ler a obra que o Mark Fisher deixou para trás.


“Science Fiction and Extro-Science Fiction”, Quentin Meillassoux (2015)

Se você gosta de explorações filosóficas sobre causalidade e também gosta de explorar o que é possível ou não tanto em mundos de ficção como na realidade, este pequeno livro — um ensaio mediano com um conto do Asimov, citado no mesmo.

Muito muito interessante e me deixou com várias ideias de como desenvolver isso que Meillassoux chama de ficção extro-científica.


“Art and Guerrilla Metaphysics: Graham Harman and Aesthetics as First Philosophy”, Francis Halsall, Speculations V: Aesthetics in the 21st Century (2014)

O paper mais interessante que li no último mês foi sobre estética e sua relação com a filosofia. Uma relação que Harman faz questão sempre de destacar ser um dos pilares da OOO. “Metafísica de guerrilha” é uma imagem do Harman, e também título de um de seus livros, que trata dessa situação em que não podemos ter acesso às coisas em si, mas podem através das qualidades sensuais ter alguma aproximação e de como a arte faz isso, sempre com uma prática de guerrilha, descentralizada e em focos. O artigo pode ser lido no e-book que é disponibilizado de forma “pague quando quiser”, mesmo $0!


“Homem-Aranha no Aranhaverso” (2018)

Dos filmes que vi no último mês, tanto esteticamente quanto na história, definitivamente foi “Homem-Aranha no Aranhaverso“. Faz tempo que uma história de “super-herói” me faz torcer realmente pelo protagonista ou me dá a sensação de perigo real ou de que ele não vai conseguir concluir alguma tarefa, além de ser emocionalmente interessante e ter grandes cenas. A animação é ainda, incrível!

Assunto de família” e “No Coração da Escuridão” me impressionaram bastante também.


Primeira vez por aqui? Veja também:

Caso queira se inscrever e receber a Pilha Infinita em sua caixa de entrada, utilize este formulário.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *